Cordinhas nos Óculos, topa?

Depois das calças mom jeans, que tal apostar na cordinha dos óculos da vovó? Taxado como um dos hits da primavera/verão 2018, esse item, de muita utilidade no passado, volta como um acessório indispensável para a próxima estação.

Diferente daquela cordinha que usávamos na infância, para não perder os óculos na escola, a cordinha 2.0 (denominada por mim mesma dessa maneira) está disponível em diversos formatos, cores e materiais. Ela promete abalar as estruturas das praias e compor seu look para aquela pool party marota, daquele seu amigo do trabalho que usa papete e camisas com estampas divertidas!

foto-01.jpg
Cordinha InBox  – R$29,00

Como toooooda tendência, as opiniões sobre esse acessório são bem divididas. Tem gente que recusa de cara, outros são apartidários e pensam “why not?”. Os diferentões já estavam usando as cordinhas antes mesmo desse post (hahaha) – comenta aqui embaixo em qual dessas situações você está!! 

Eu certamente usaria, mas não é todo preço que pago. Acho uma boa ideia pelos seguintes fatores: eu sou craque em esquecer meus óculos em cima da mesa de restaurante. Quando os óculos são meio pesados acabam alargando a gola das minhas camisetas. A cordinha me parece bem prática e não menos importante ela me pouparia uns bons fios de cabelo pois, tooooda vez que coloco meus óculos na cabeça ele enrosca na minha franja!

Selecionei umas cordinhas para vocês darem uma olhada e pensarem mais sobre a ideia!!

  1. Esse modelo é de plástico e chama bastante atenção, ideal para a praia pois não danifica em contato com a água. ( clique na foto e vá para o link de compra)

02

2.  Esse modelo abaixo é feito de cordinha, acho muito discreto e super fácil para guardar na bolsa. Fora que, esse detalhe tribal é a cara do verão e combina com tudo. ( clique na foto e vá para o link de compra)

03

3. Das sugestões abaixo, uma é em metal no formato de correte e a outra feita com miçangas ( essa dá até para fazer em casa). Ambas lindas para compor uma infinidade de looks!

04
Fonte

Espero muito que tenham gostado do post! Um beijo e uma semana incrível para vocês! Beijos!

Inscrevam-se em nosso canal para não perderem NADA de conteúdo em nossa rede Barbarizando!

 

 

 

Perfil da Vez!

Galerinhaaa!

Tô começando uma nova série de posts aqui no Blog que vai se chamar Perfil da Vez. Nessa série, eu indico para vocês algum @perfil do Instagram/YouTube de meninxs com quem me identifico de alguma forma, seja de pensar, seja no estilo ou até mesmo pelo senso de humor. Gostaram, né?

Para começar, decidi falar de ninguém menos que @natalyneri. Amigx, se você ainda não conhece essa pessoa, calma!, vim te salvar desse abismo que você está vivendo e garanto que será uma honra te apresentar.

foto.png

Nataly Neri , 23, é estudante de Ciências Sociais e tem um canal incrível no Youtube chamado Afros e Afins. Nesse canal, ela aborda temas como feminismo negro, moda sustentável, estética de mulher negra e assuntos relacionados à negritude. Considerada uma das influenciadoras digitais mais promissoras da Internet, ela trás em seu canal temas densos e discussões necessárias para nossa sociedade como racismo, esteriótipos e privilégios dentro de nosso contexto atual. Seu discurso é muito preciso, embasado e exemplificado para que seus seguidores possam ter clareza do que estão vendo e possam à partir daí criar suas próprias reflexões e questionamentos. [ ela é incrível, gente]

Canal

A Nataly, possui um estilo muito particular. Além de costurar suas próprias roupas ela também é frequentadora de brechó e bazares, ritual que faz parte de seu estilo de vida e daquilo que acredita como modelo ideal de moda. Dentro de sua paleta estão as cores, marrom, tijolo e verde e ao entrar em seu instagram @natalyneri nos deparamos com essas cores e um feed muito naturalista, sensível e ao mesmo tempo moderno e revolucionário.

insta

Te convido a ir vistar o insta dessa lynda e comprovar tudo o que estou dizendo. Ah! Aproveita e já me segue no instagram também, não custa nada @ba_babu!

Comentem aqui o que acharam desse primeiro post da série! Beijos!

Decisão

Decisão é algo que nos acompanha a todo momento. Está no trabalho, na escola, em nossos relacionamentos e numa série de outras áreas da vida. Falando um pouco de mim, desde criança, sempre fui indecisa (eu era/sou chata pra caramba!). Nunca tinha certeza de nada e fazia de tudo para adiar momentos em que eu precisaria abrir mão de uma coisa, em detrimento de outra. A opinião dos outros sempre teve muito peso pra mim e ouvir o que elas tinham a dizer sobre minhas possibilidades sempre me pareceu bem sensato (tolinha).

Eu era daquelas que demoravam horas na loja pra decidir entre o vestido florido ou o verde com bolinhas brancas… E o pior, eu decidia mas que não largava o osso. Ficava pensando sobre como a vida teria sido, caso tivesse escolhido B ao invés de A. (bizarro!) E hoje vejo o quanto isso não faz bem.

Ser indecisa me trouxe feridas. Me trouxe oportunidades perdidas. Ansiedade. Me trouxe insegurança, por querer me validar e me provar o tempo inteiro. Planejar é bom mas executar é fundamental. Executar é pura decisão! Hoje, percebo que o tempo que perdi pensando, poderia ter sido usado errando, aprendendo e recomeçando.

Mas, nunca é tarde! Entendi ao longo da vida que, lidar de forma mais natural com o erro é a melhor saída para se tornar uma pessoa mais decidida. Analisar a situação em todos os âmbitos (profissional, familiar, financeiro, social ) é sensato mas, me dar prazos para decidir me tornou mais ágil e me fez ser mais pé no chão. Pensar em alternativas é fundamental mas, ficar criando 500 caminhos com uma possibilidade remota de acontecerem só serve pra queimar os miolos.

Aprendi a preservar minha opinião e a respeitar minha intuição, que muitas vezes é quem mais sabe e acerta sobre mim, ao invés de validar com os outros. Entendi que não se pode ser e ter tudo, e que viver é um risco constante. Hoje, sei que escolher não escolher também é uma escolha. Independente de você, o mundo gira. Ah! As pessoas nem se importam tanto assim com a nossa vida, não conceda a elas um direto que não as pertence: o de decidir!

A maior lição de tudo isso, e que precisamos sempre ter em mente, é que precisamos estar atentos para que nossas decisões sejam realmente nossas, ou o máximo nossas possível (afinal, nosso contexto social exerce grande influência em nossas decisões). Nos comparar e esperar a perfeição nos deixa mais distante de realizar nossos sonhos…

OIAinda estou longe de ser alguém bem resolvida e super auto confiante, pode apostar. Mas me desconstruo sempre, tentando melhorar. Certo ou errado, quem decidiu foi eu, com meus critérios, minhas análises, minhas crenças e valores. Essa segurança, em acreditar em nossas decisões e que somos capazes, é o que mais nos conforta quando erramos e o que mais nos orgulha quando acertamos.

O mundo cheio de gente que impaca… A gente precisa fazer parte dos que andam, dos que enfrentem, dos que criam! Demore o quanto precisar mas, calcule as consequências do seu tempo. Quando decidir, vai e mete as caras!

imagem 01.jpg

(Estava na dúvida sobre postar esse texto mas, decidi dividir com vocês!)

Comentem aqui embaixo algo que vocês se orgulham de ter decidido! Vou adorar saber!

Beijos, amos vocês. Babu**