Escolher a carreira, agora?

Eu, particularmente, acho ridículo a pressa que “obriga” a escolher, com 17 /18 anos, o que ser para o resto da vida. #quantapressão O jovem acaba de sair do colegial, onde ele comprava vinho escondido com os amigos, riscava o próprio tênis e se achava malandro quando cabulava para andar no shopping; e aí (tchanam!) esse adolescente amadurece, entra em um curso de engenharia de petróleo e sua vida muda. Entre nós, você sempre teve certeza do que queria ser quando crescer? É sobre isso que vamos falar!

Quando nossos pais eram jovens, bombar na carreira era conseguir um emprego no banco, cursar magistério ou entrar em uma metalúrgica e se aposentar lá. Hoje, é fazer faculdade e ser um case de sucesso. O jovem com 17 anos já presta o vestibular, pensado em ser CEO de uma multinacional americana. Longe de mim cortar essas ambições mas, a faculdade deixou de ser um ambiente acadêmico de aprendizado, de troca e amadurecimento estudantil para vender cargos e diplomas.

Quando você sai da escola e não ingressa na faculdade logo é interpretado como “o vagal”, que não quer nada da vida, acomodado. E coitado daquele que não sabe o que vai cursar, esse é um perdedor. MENTIRA! As pessoas não entendem que, escolher uma profissão envolve muito mais do que status (#partiufacul #festadafacul), envolve vida! Hoje passa-se muito mais tempo trabalhando do que livre. Quer passar o dia fazendo o que odeia? Acredito que não.

Quando eu estava saindo do colegial sempre soube que trabalhar com comunicação era o que eu queria. Eu curto falar, dançar, cantar, escrever, compor, fotografar, tocar e muitas outras coisas transmitem de uma forma ou de outra o verbo: expressar. Mas, o mais legal de tudo isso é que as coisas aconteceram de forma natural, ninguém me obrigou a ser absolutamente nada! E eu tive a opção de ser nada. #nãoqueeusejagrandecoisahoje

Acredito que a melhor forma de escolher sua profissão é se cercar de informação. Você precisa avaliar o mercado e ver quais atividades você poderá desenvolver naquele ramo. Ver se há oportunidade de trabalho nessa área, porque fazer faculdade e não ter emprego está longe dos planos. É importante pesquisar a universidade que quer e pode fazer, ela é bem avaliada naquilo que ensina, ela oferece recursos para seu aprendizado? Identifique suas habilidades e tente convertê-las em profissão, assim, quando estiver trabalhando vai parecer que está praticando um hobby. Faça o curso que você quer, e não o que paga mais ou que sua família acreditar ser o melhor para você.

Sei que o que disse acima não se aplica à todos. Mas, o objetivo desse texto é informar que, para entrar em uma faculdade a última coisa que se precisa é de pressa e desespero. Muito pelo contrário, escolher com cautela evita perder tempo lá na frente, vai por mim. Não adianta estudar por estudar e depois achar que uma pós graduação salvará sua pele. E o tempo que você perdeu? O dinheiro que investiu? Isso vai pra conta também.

Ser feliz na carreira é algo relativo, afinal, como tudo na vida, nada é perfeito. Mas, fazer algo que tenha relação com sua personalidade ou com seus gostos facilita a vida. Além disso, o tempo vai mostrando, aos poucos, que caminhos tomar (quem diria que eu teria um blog aos 25?), tenho pessoas que fizeram faculdade comigo que hoje trabalham como DJ ou que viraram cheff de cozinha (e estão felizes). Enfim, faça dessa escolha um momento legal, de dedicação e de realização. Não se prenda a tabus profissionais ou ao tempo dos outros. Reflita, colete informações e coloque seus planos no papel, logo menos sua escolha será feita.

OBS. Entenda como tabus profissionais os exemplos:
“Vc vai estudar história? Coitada, nunca será valorizada!”
“Tanta profissão no mundo e você escolheu fazer teatro, isso não dá futuro!”
“O mercado está saturado para quem quer fazer publicidade, se for para área de criação então, aí tem que ser muuuuito bom!”
“Se está na dúvida faça administração, sempre terá emprego.”

Amo Raul, e compartilho com vocês um vídeo sobre o que acabamos de falar!

Boa sorte!! Beijos, Babu.

Anúncios